USAC - Vencedores e Vencidos, por Fernando Calmon
Vencedores e Vencidos, por Fernando Calmon
Publicado em: 05/05/2018

 

Em meio à recuperação do combalido mercado, que cresceu pouco mais de 9% em 2017, nosso ranking tradicional dos modelos mais vendidos sofreu alterações técnicas. Com pesar, caiu o segmento de peruas em razão de pouca oferta e vendas baixíssimas. O avanço dos SUVs levou ao quase desaparecimento dessa opção familiar em todos os grandes mercados mundiais (à exceção da Alemanha). De roldão, monovolumes e hatches médios também foram atingidos, porém ainda resistem. Crossovers verdadeiros serão as próximas vítimas.

Subcompactos assumiram o espaço criado dentro do quadro geral. O Mobi estreou bem nessas comparações e o Kwid pode ser ameaça ao líder em 2018. Não na forma de represamento das vendas iniciais que levaram a análises apressadas em setembro do ano passado, mas de uma disputa acirrada que merece ser observada.

Também se deve ressalvar que modelos novos, como Argo, Polo e o próprio Kwid, tiveram menos meses de vendas em 2017 e só neste semestre poderão revelar sua força efetiva junto aos compradores.

No ano passado, poucos modelos conseguiram assumir ou recuperar a liderança: Mercedes-Benz Classe C, BMW Série 5 e o surpreendente Subaru WRX. Um destaque foi o híbrido Prius aparecer em décimo lugar, no segundo mais numeroso segmento do País.

Classificação da Coluna soma hatches e sedãs da mesma família, independentemente do nome do modelo. Sedãs com entre-eixos de significativa diferença classificam-se à parte (Versa, Logan, Etios e outros). Base é o Registro Nacional de Veículos Automotores. Citados apenas os modelos mais representativos e pela importância do segmento. Compilaçã

 

o de Paulo Garbossa, da consultoria ADK.

 

– Subcompacto: Mobi, 47%; up!, 30%; Kwid, 20%.

Mobi, por enquanto, fácil.

 

– Compacto: Onix/Prisma, 24%; HB20 hatch/sedã, 13%; Ka hatch/sedã, 11,3%; Gol/Voyage, 11%; Sandero, 6%; Fox, 3,9%; Etios hatch, 3,8%; Uno, 3%; Etios sedã, 2,9%; Argo, 2,6%; Logan, 2,4%; Grand Siena, 2,3%; Versa, 2,2%; Cobalt, 2,1%; Palio, 1,9%; Fiesta hatch/sedã, 1,8%; City, 1,5%; March, 1,3%; 208, 1,1%.

Líder ainda avança.

 

– Médio-compacto: Corolla, 40%; Cruze hatch/sedã, 16%; Civic, 15,7%; Focus hatch/sedã, 7%; Jetta, 5%; Golf, 2,4%; Sentra, 2,3%; A3, 1,9%; Prius, 1,5%.

Corolla, sem ameaças.

 

– Médio-grande: Mercedes Classe C, 31%; Fusion, 27%; BMW Séries 3/4, 23%.

Classe C volta a liderar.

 

– Grande: BMW Série 5/6, 38%; Mercedes Classe E/CLS, 33%; Jaguar XF, 9%.

Novo Série 5 reagiu.

 

– Topo: Mercedes Classe S, 40%; BMW Série 7, 30%; A8, 13%.

Posições consolidadas.

 

– Esportivo: Subaru WRX, 29%; Mercedes SLC, 25%; Audi TT, 23%.

Subaru virou o jogo.

 

– Esporte: 911, 42%; 718 Boxster/Cayman, 34%; F-Type, 6%.

Porsche brilha.

 

– SUV compacto: HR-V, 18%; Creta, 16%; Renegade, 15%.

Honda sob ameaça.

 

– SUV médio-compacto: Compass, 55%; ix35/Tucson, 17%; Audi Q3, 5%.

Líder inconteste.

 

– SUV médio-grande: SW4, 53%; Discovery Sport, 12%; XC60, 10%.

Toyota com bastante folga.

– SUV grande: Trailblazer, 34%; Mercedes GLC, 9%; Jaguar F-Pace, 8%.

Preço ajuda a vencer.

 

– Monovolume pequeno: Fit/WR-V, 54%; Spin, 33%; Aircross, 11%.

Diferença aumentou.

 

– Crossover: ASX, 66%; Range Rover Evoque, 26%; Freemont/Journey, 6%.

Liderança tradicional.

 

– Picape pequena: Strada, 44%; Saveiro, 34%; Montana, 12%.

Strada recuou um pouco.

 

– Picape média: Toro, 34%; Hilux, 22%; S10, 20%.

Ganhador acelera.

* Fernando Calmon – Engenheiro, Jornalista, Palestrante e Consultor em Assuntos Técnicos e de Mercado nas Áreas de Comunicação e Automobilística.