USAC - Primeiro Trimestre de OportunidadesExpectativas se Transformando em Real Crescimento – Por Flavio Portela
Primeiro Trimestre de OportunidadesExpectativas se Transformando em Real Crescimento – Por Flavio Portela
Publicado em: 27/04/2018

Já é de superação o real crescimento de 15% nas vendas de veículos 0 km no primeiro trimestre de 2018. Lembramos que a Fenabrave nas suas mais otimistas análises, projetou um crescimento de 10% para 2018. E este é só o começo…

O setor como um todo deve crescer 13,02% neste ano, contabilizando Ônibus, Caminhões, Motos, implementos rodoviários e máquinas agrícolas, ou seja, teremos uma performance linear que é muito positivo para todo o segmento.

Neste momento a importação volta a crescer com o aquecimento do mercado interno, principalmente com a aquisição de veículos provenientes de países que possuem acordos comerciais com o Brasil, onde destacamos a Argentina e Mexico. A tendência é este numero crescer anda de maneira relevante, alavancado pelos incentivos que chagarão do governo federal através do rota 2030. No primeiro trimestre já ultrapassamos de 50% do crescimento nos importados comparados a 2017, estamos falando de US$ 922 Mio, que já reagem no segmento com a retirada dos 30 pontos sobretaxados do IPI para veículos fora do Mercosul e México, que faziam parte do programa de incentivos do já extinto InovarAuto.

Neste começo de ano já entraram no Brasil aproximadamente 60.000 veículos importados, que irá melhorar o mercado interno pois estimulará a concorrência por preços nos salões de vendas e irá promover a inclusão de novas tecnologias como referência para a indústria nacional.

Agora começará uma nova disputa pelos consumidores brasileiros. A inovação será um fator preponderante na decisão de compra. Neste mês a VW anunciou um forte investimento de 2Bi no Paraná para o desenvolviento de um novo SUV compacto, chamado de T-Cross. Entrará na briga direta com o Creta, Renegade, HR-V e Kicks. Este investimento faz parte dos 7Bi que a VW anunciou para o lancamentonde 13 novos modelos no Brasil até 2020.

Para o mercado de reposição este bom momento já porporciona uma realidade ainda mais otimista, pois a indústria de autopeças começa a investir em novas tecnologias e oportunidades que fortalecerão o segmento.toda a cadeia automotiva como um todo.

Grandes empresas e redes mundiais já aceleram seus planos de investimentos no Brasil, principalmente as empresas europeias, pois no velho continente os fabricantes de veículos já entendem uma diminuição na venda de veículos, porém  os automóveis que estiverem nas ruas terão maiores quilometragens. Empresas já se unem para se fortalecerem o car sharing (compartilhamento), como a BMW e a Daimler. Mais detalhes na próxima edição.